Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página

Histórico

Publicado: Quarta, 25 de November de 2015, 10h12 | Última atualização em Sexta, 21 de September de 2018, 10h56 | Acessos: 11308

A origem histórica da 1ª Região Militar se remonta à data da criação do 4º Distrito Militar, pelo Decreto Nr 431, de 02 de Julho de 1891, do então Presidente da República o Marechal Deodoro da Fonseca, dividindo o território brasileiro em sete Distritos Militares, ficando as Forças Terrestres existentes na Capital Federal e nos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, diretamente subordinadas ao Ajudante-Geral do Exército.

Em 1898, o País vivia, nos sertões da Bahia, o drama de Canudos, centenas de baixas ocorriam, não só por ferimentos em combate, mas também por fome e sede. Faltava uma adequada estrutura logística. O 4º Distrito Militar buscou responder às necessidades do Exército Brasileiro no mister de suprir e apoiar, dando nova face ao destino da guerra.

Nas primeiras décadas do século XX, o Marechal Hermes da Fonseca (foto), ex-comandante do 4º Distrito Militar, já nas funções de Ministro da Guerra, empreendeu uma grande reorganização da Força Terrestre, dando ênfase para a parte logística que, até então, era bastante negligenciada.

A 1ª RM reverencia a figura do Marechal Hermes da Fonseca que tornou-se com justiça seu patrono. Portamos, orgulhosamente, sobre os nossos peitos, as cinco estrelas vermelhas, em campo dourado, que representam o seu brasão de armas.

O 4º Distrito Militar adquiriu a sua atual denominação de 1ª Região Militar no ano de 1919, ao término da 1ª Guerra Mundial, com nítida prevalência da sua componente voltada para o apoio logístico, incorporando a Intendência-Geral da Guerra e o Arsenal de Guerra do Caju, reestruturados em função dos ensinamentos adquiridos durante a campanha de Canudos.

A
o longo de sua existência, até os nossos dias, tem a 1ª Região Militar participado ativamente de todos os fatos da vida nacional, cabendo ressaltar as ações empreendidas contra as revoltas empreendidas pelos comunistas e integralistas, em 1935 e 1938 e, ainda, na preparação da Força Expedicionária Brasileira, para a 2ª Guerra Mundial e no apoio logístico inicial às tropas brasileiras que combatiam no Teatro de Operações da Itália.

Nos últimos decênios do século passado e no início deste, também realizou o planejamento logístico e o consequente apoio às Forças de Paz em Moçambique, Angola, no litígio de fronteiras Peru/Equador e no Timor Leste, possibilitando o suprimento de todas as suas necessidades em material e seu efetivo controle patrimonial.

Fiéis aos exemplos de nossos antepassados que, de Canudos aos confins do Oriente, jamais mediram esforços para elevar o nome da 1ª RM, seus integrantes, militares e civis têm demonstrado serem capazes de desempenhar suas atribuições com zelo, competência e dedicação ao Brasil, tornando nossa Organização Militar uma referência no campo da Logística e da Administração no seio da Força Terrestre.

registrado em:
Fim do conteúdo da página